Pandemia, trauma e terapia psicodélica

A pandemia chegou como uma surpresa para a grande maioria de nós. Não podemos falar assim para todos, afinal, epidemio e infectologistas já alertam para o risco de um evento desse tipo há muitos anos (até mesmo Bill Gates já falou sobre isso). Sem falar nos autores de ficções científicas, e “preppers”, ou sobrevivencialistas. De repente, nos vimos em cenários dignos de filmes apocalípticos, de parábolas, de sonhos (ou pesadelos)… Nas últimas semanas, vivemos como que num outro estado de consciência. Leia mais

O tempo está se esgotando

No dia 2 de janeiro, um bombardeio dos Estados Unidos no aeroporto da capital iraquiana Bagdá matou o general Qassem Suleimani, chefe da Guarda Revolucionária Iraniana. Esse ato vai aumentar ainda mais a já grande tensão no chamado Oriente Médio. A Guarda Revolucionária faz mais parte do centro do poder no Irã do que as próprias forças armadas convencionais do país e o Suleimani era uma das pessoas mais importantes na estrutura de poder do Estado iraniano. Era um dos principais articuladores das ações geopolíticas do Irã, com grande influência na região, notadamente com o Hizbullah no Líbano, o Hamas na Faixa de Gaza (na Palestina), o Bashar Al-Assad na Síria, os houthis no Iêmen e com setores xiitas no Iraque. O Irã vai retaliar. Leia mais

Uma distopia nem tão distópica

“Poder, no mundo de Case, significava poder corporativo. As zaibatsus, as multinacionais que davam forma ao curso da história humana, haviam transcendido antigas barreiras. Vistas como organismos, haviam adquirido uma espécie de imortalidade. Não se podia matar uma zaibatsu assassinando uma dezena de executivos principais; havia outros esperando para subir de nível, assumir os cargos vagos, acessar os vastos bancos de memória corporativa” Leia mais